sábado, 5 de novembro de 2011

Full Irish Breakfast


Dentre as comidas tradicionais da Irlanda está o  café da manhã irlandês, bastante semelhante ao inglês e  uma verdadeira  bomba calórica. Vejam as  comidinhas light que o integram:



Para beber serve-se suco de laranja, chá ou café. Até aí tudo bem né?

Agora,  nem faça conta das calorias por favor! Para comer: ovos, salsichas, black e White puddings [é uma espécie de lingüiça de sangue ou carne de porco], e bacon fritos. Os acompanhamentos, que podem variar,  são baked beans [aquele feijão no molho de tomate], cogumelos, batatas, tomate, pão [soda Bread], torrada, geléia e frutas.  

Esta não é uma refeição comum para o dia a dia das famílias atualmente. Normalmente farão esta refeição uma ou duas vezes na semana, geralmente no fim de semana, ou apenas eventualmente em restaurantes e hotéis.

Apesar de ser café da manhã,  é comum encontrar placas em restaurantes com “Full Irish Breakfast served all Day” [café da manhã irlandês servido durante todo o dia] e muitas pessoas o comem no meio do dia, na hora do almoço.

Antigamente era comum também ter uma Guinness, uma cerveja escura tradicional, ou melhor patrimônio nacional da Irlanda, com o Irish Breakfast.

Eu ainda prefiro o café da manhã nordestino: café com leite, pão, tapioca, cuscuz queijo de qualho ou queijo de manteiga. Hummm, que saudade!

Marília Barreto
05 de Novembro de 2011

quarta-feira, 2 de novembro de 2011

Would you like some tea?



        É comum você chegar em algum lugar e as pessoas lhe oferecem chá, café ou água. Entretanto, se ouvir “would you like some tea?” Não espere um chá de camomila, boldo ou cidreira.

        O termo TEA em inglês refere-se a infusão de uma erva específica, a Camélia sinensis.


Chá branco: folhas jovens (novos botões que cresceram) que não sofreram efeitos de oxidação; os botões podem estar escudados da luz do sol para prevenir a formação de clorofila.
Chá verde: a oxidação é parada pela aplicação de calor, que através de vapor, um método tradicional japonês, ou em bandejas quentes — o método tradicional chinês).
Oolong (烏龍茶): cuja oxidação é parada alguns entre o chá verde e o chá preto.
Chá preto: oxidação substancial. A tradução literal da palavra chinesa é chá vermelho, o que pode ser usado entre os fãs de chá.” [fonte

        O  chá pode ser servido puro, com leite, açúcar ou mel.

        Os chás de ervas, ou outras infusões às quais estamos acostumados no Brasil são chamadas de HERBAL TEA. Esta é uma opção para aqueles que não gostam do chá tradicional, ou querem evitar bebidas com cafeína.

Marília Barreto
Dublin, 02 de novembro de 2011

terça-feira, 26 de julho de 2011

Liga pra mim... Julho 2011

Alô, hello...


A internet ajuda muito na comunicação de quem está longe de casa, principalmente quando o atlântico é o que nos separa. Entretanto,  ouvir o telefone tocar e ter a surpresa de falar com nossos amigos e familiares não tem preço.

Aliás, tem um preço sim, e pode, muitas vezes, ser bem caro.

Então, para facilitar essa comunicação do Brasil para a Irlanda, resolvi fazer uma pesquisa de preços oferecidos pelas companhias telefônicas do Brasil.

Pesquisa realizada em Julho de 2011

EMPRESA MAIS BARATA -- Intelig 23

Promoção País Amigo 23

Para quem está no Brasil: ligue para 103 23 e cadastre o número da pessoa que está na Irlanda.

Os valores promocionais, pesquisados em Julho de 2011:
(verifique o site da empresa  para atualização de valores)

Ligações originadas de
Para
Valor em Reais sem tributos
Valor em Reais com tributos*
telefone fixo BR
fixo IRL
0,22
0,3315
telefone fixo BR
móvel IRL
0,65
0,9796
móvel BR
fixo IRL
0,96
1,4468
móvel BR
móvel IRL
0,96
2,0798
*Para Mato Grosso, Pará, Paraíba e Rio de Janeiro, ICMS=30%, para outros estados acesse: http://www.inteligtelecom.com.br/site/?p=485

Como fazer a ligação:
00353 XX (NUMERO DO TELEFONE DA IRLANDA SEM O ZERO)
XX Operadora 23 Intelig, 21 Embratel, 31 OI, etc...

Quero enfatizar que não ganho nada de nenhuma empresa telefônica, e que a propaganda gratuita é uma forma de fazer com os que querem nos ligar gastem menos.

E, nós, que longe estamos, aguardamos sua ligação.


Abraços,

Marília

quarta-feira, 6 de julho de 2011

Learn English 1

Olá pessoal, fiz uma primeira seleção de sites que podem nos ajudar no aprendizado da língua inglesa.

Learn English – Suggested Websites.

Printable handouts, flashcards, make your own crossword and bingo cards.
Muito bom para aprender vocabulário; excelente para professores, por ter ferramentas para preparação de atividades


Loads of activities according to the student level [from beginner to advanced]. Pronunciation, grammar, vocabulary, reading activities, audio words…
 Muitas atividades para praticar tópicos de vocabulário, gramática, etc. O joguinho para praticar a sílaba tônica das palavras nos ajuda a aprender mais da pronúncia da língua. Ideal para todos os níveis.


Podcasts, Listen & watch, Grammar and vocabulary, Fun & Games, Business & Work, IELTS.
Várias seções como gramática, vocabulário, jogos, IELTS, podcasts, etc.

Some lessons are available since you start, others you have to get points to reach, and some courses are paid.
There`s also the possibility of interacting with other students.

Interesting online preparation exams for KET, PET, FCE, CAE, TOEFL and IELTS, and
Click on ELF exam practice, and test your level or practice for exams.
http://www.english-online.org.uk/



Comprehensive dictionary and thesaurus. You can also listen to the word with either American or British accent, check the usage in a sentence and learn the related words.
Dicionário bastante abrangente, com o uso da palavra em frases de diversos contextos, além de apresentar sinônimos e antônimos. Na parte inferior do site, é possível ver a tradução. Os botões com as bandeiras americana e inglesa são links para a pronúncia da palavra pesquisada.


EGO 4U [ENGLISH GRAMMAR ONLINE FOR YOU]

A wide variety of online activities. Just search the topic and practice there.
Atividades online que abordam diversos tópicos. Basta usar a ferramenta de pesquisa.

sexta-feira, 1 de julho de 2011

De que cor são os táxis?

Nas cidades de interior no Brasil, não há uma padronização quanto à cor, mas em grandes cidades são geralmente brancos ou amarelos.

Na Big Apple, Nova Iorque, seus táxis amarelos são presença marcante nas grandes avenidas.


Em Londres, temos os famosos Black Cabs, oferecem serviço com motoristas superqualificados que conhecem a cidade na palma da mão, mesmo sem o uso do GPS. São mais caros que os mini cabs, pois são de empresas independentes e não há tanto treinamento e avaliação dos motoristas. É sempre aconselhável pegar um Black Cab, quando não conhecer o caminho, pois estes taxistas não irão enrolar para você pagar mais. Detalhe: os Black Cab's são na maioria pretos, mas há de outras cores também como vemos no site Black Cabs.

Em recente visita a Bristol, vi que os táxis de lá são azúis!!!




[Táxis em Bristol, Inglaterra]

E vocês podem me perguntar: Oxente? Você não está na Irlanda?  Bem, em Dublin não há padronização quanto a modelos, ou cor. O importante é ver no painel da frente a licença do motorista. Os preços são razoáveis e é cobrado mais um Euro a partir do segundo passageiro. Uma boa dica quando a grana estiver curta é combinar antes o valor com o taxista.
[taxis na O'Connel, principal rua do centro de Dublin]

Na minha Campina Grande, os táxis são brancos. Como são os táxis pelo resto do Brasil e do mundo?
[táxis na rodoviária de Campina Grande]

Ao me despedir, só me lembrei do hit dos anos 80:



Abraços, e até o próximo post,

Marília

segunda-feira, 27 de junho de 2011

Curiosidade - atravessar [sob] a rua

Atravessar a rua é uma simples tarefa do dia a dia. Na Irlanda e no Reino Unido devemos sempre atentar para o trânsito que é ao contrário do nosso, daí o velho conselho de olhar para os dois lados da rua antes de atravessar é atualíssimo.
Em algumas cidades, como Cardiff, País de Gales, ou Paris, França pode ser diferente. Ao invés de passarelas sobre as ruas, temos túneis sob elas.


Do outra lado da rua um prédio, mas como chegar até lá?



Você pode descer as escadas,




ou rampas e passar por baixo da rua.


Do outro lado, a prefeitura de Cardiff.

Também vi esse tipo de acesso em Paris, para chegar ao Arco do Triunfo, passei um tempão imaginando como conseguiria atravessar uma rua tão movimentada, até ver a entrada para o túnel.


É sempre vivendo e aprendendo!!!

domingo, 12 de junho de 2011

TV: ame, ou deixe-a


Sou daquelas pessoas que deixa a TV ligada em casa apenas para fazer companhia; gosto de TV no quarto, ligo-a à noite pensando que vou assistir algum programa, mas logo os programas embalam meu sono.

Bem, deveria ter escrito o parágrafo anterior to passado: ligava a TV; pois desde que estou em Dublin não tenho mais televisor. O aparelhinho faz uma falta danada, então logo arranjei um substituto: meu netbook.

É dessa telinha de 8,9” do meu minicomputador que escrevo meus textos, uso as redes sociais e também assisto TV.

Sei que não ter TV nos obriga, de certa forma, a fazer outras atividades, como ler, passear, etc., mas sempre que quiser, é bom ter a opção.

Abaixo alguns links de TV online, mas o Grande Sr Google sempre me ajuda nesta busca:

[canais brasileiros, alguns internacionais, e seriados]


[Site da TV alemã Deutsche Welle. O link fica no canto superior esquerdo]


[Site de um canal de TV irlandês]


[Site da BBC, canal Inglês, não disponível para assistir na Irlanda :/]


[Site da CNN, americana]



Fora tais sites, o bom e velho Youtube, é sempre uma saída para assistir documentários, e programas gravados, além de clipes, e vídeos passatempo.

Dessa forma, se você não tem TV, ou apenas quer ficar ouvindo algum programa enquanto usa o computador, estas são algumas opções. 

Assim, não deixei totalmente meu caso de amor com a TV.

Abraços, e para terminar, um clássico dos Titãs, no programa do Chacrinha, 1985.



quinta-feira, 19 de maio de 2011

A Rainha e o Halley I

"Pega carona nessa calda de cometa
Ver a Via-Lactea, estrada tão bonita
Brincar de esconde-esconde numa nebulosa
Voltar para casa nosso lindo Balão azul"

Guilherme Arantes, Nosso Lindo Balão Azul



Um dos fatos que marcaram a minha infância foi a passagem do cometa Halley. Fiquei ansiosa esperando o tão esperado acontecimento. Todos comentavam, procuravam binóculos, lunetas, ou planejavam ir para lugares mais ermos para terem maior visibilidade.






Algumas pessoas mais velhas, relembravam tê-lo visto em suas infâncias, e das histórias que se comentavam à época. Eu, tinha um velho binóculo emprestado por meu pai. Fiquei na rua. Contemplei o céu, as estrelas daquela noite de 09 de fevereiro de 1986.  Busquei ver o tal astro tão famoso, e além de pessoas nas ruas tentando ver sua cauda radiante, e uma chuva de estrelas cadentes, nada mais vi. Mas, no dia seguinte, podia jurar que tinha visto um pouquinho de seu brilho.

Na minha região, ninguém viu o cometa, mas todos comentavam. Muitos, assim como eu, continuavam a falar do que tinham visto, sem nada ver.


A visita histórica da Rainha Elizabeth II à Irlanda foi assim também: passei uma semana de expectativa, vendo a cidade se transformar para recebê-la. Bueiros foram revistados e marcados; lixeiras foram removidas; cercas, muitas cercas, foram colocadas na ruas. A Garda visitou todas as casas por onde passaria o cortejo, e em alguns lugares, prédios comerciais foram fechados.

Preparação para receber a Rainha

Seria uma visita histórica, pois, após a independência, em 1921, nenhum monarca Britânico havia vindo à República da Irlanda. A última visita fora feita pelo Rei George V, avô da rainha em 1911, um século antes da vinda de sua neta.

Foram gastos €30.000 para garantir a segurança da visita real. Ruas foram interditadas, ônibus com rotas alteradas, suspeitas de bombas, protestos [de certa forma, pacíficos], trânsito caótico, muitos Gardaí nas ruas, dificuldade até mesmo para se locomover a pé: este foi o saldo do ocorrido.

A Rainha e seu esposo, o Duque de Edimburgo, fizeram visitas ao Garden of Rememberance, Trinity College, Croke Park Stadium, dentre outros lugares.

Garden of Rememberance, decidaco aqueles que deram sua vida pela liberdade da Irlanda
Quis fazer parte desta História e fui para a O’Connel, rua principal de Dublin, por onde passaria o cortejo. Aguardei junto aos meus amigos a passagem da Rainha Elizabeth II; tirei fotos; conversei com alguns brasileiros que por lá estavam. A rainha passou, em carro fechado, e bem rápido, sem permitir momentos de contemplação.





A visita da Rainha à Irlanda e a passagem do cometa Halley fazem parte da minha história. Não vi nenhum dos dois, mas posso afirmar que estava lá quando tudo aconteceu.

Quanto à Rainha, terei outras oportunidades de vê-la. É de uma linhagem que dura. Sua mãe desfilou pela vida 102 anos, mas não sei se alcançarei o 28 de julho de 2061, se sim, ainda serei mais jovem que a rainha hoje; terei tido muitas reinações, e muito mais histórias pra contar.

Amanhã posto os vídeos,

veja post A Rainha e o Halley II

quinta-feira, 21 de abril de 2011

Here comes the sun

Hoje, dia lindo! Sol invadindo a janela, trazendo calor e brilho. Não fui assistir aula, fiquei em casa, olhando a rua, curtindo o clima. Vim escrever aqui, compartilhar meu dia.
[Vista da Mountjoy Square, manhã de 21/04/11]

Me lembrei de uma viagem que fiz há uns anos para Maceió, com Eduarda, amiga de longas datas, talvez de vidas. No caminho, o tempo quis fechar e, como o som do carro estava quebrado, começamos, eu ela e seus filhos, a lembrar e cantar músicas com sol. Na época, me surpreendi com Luis, que mesmo criança trazia na memória várias canções. Achamos umas vinte, e agora não me lembro de todas; cantamos, rimos, o sol chegou.
[sol, na estrada entre Maceió e Campina Grande, Outubro de 2007]

O clima muda mesmo nosso temperamento. O sol, trouxe a alegria, ou pelo menos fez com que a externássemos naquela viagem. Aqui em Dublin, e provavelmente em toda a Irlanda, podemos perceber nitidamente a mudança das estações. A primavera chegou, os jardins estão coloridos, e o dia passa a ser cada vez maior.
[É primavera! Stephen's Green, 17/04/11]

Vemos mais pessoas nas ruas, e os parques ficam cheios. Como diria minha flatmate Jaqueline: “é mesmo uma belezinha esse tempo”. Moro em frente ao Mountjoy Square, a melhor opção para os dias de preguiça. Basta descer as escadas.
[Um pouco do Stephen's Green]

No domingo, fui com a Jaqueline e o Alessandro, flatmates,  ao Stephens Green, um parque maior, com lagos, e mais jardins. Ficamos ao sol, nos energizando, e contemplando o dia. 
[nós, sem make up rsrs]
[ah, o sol!]

Os parques são uma excelente opção para todos. Primeiro, é grátis; e além disso saudável, podemos aproveitar e fazer uma caminhada ou jogar bola. Vemos pessoas sós, grupos de amigos, famílias, e nos deparamos com a diversidade cultural que tem em Dublin.

[domingo no parque 1]
[domingo no parque 2]

 Há várias opções de parques na cidade, mas o maior deles é o Phoenix Park, que é na verdade o maior parque cercado da Europa. Apenas passei por lá, mas é realmente imenso e merece um dia de passeio, e um post só pra ele.

Abaixo um quadro com os horários de nascer e por do sol, e um pouco de vocabulário:

Sunrise: nascer do sol
Sunset: por do sol, ocaso
Dawn: aurora, madrugada, romper do dia
Dusk: crepúsculo
DateSunriseSunsetLengthChangeDawnDuskLengthChange
Today06:1320:3614:23 05:3521:1415:39 
+1 day06:1120:3814:2700:04 longer05:3221:1615:4400:05 longer
+1 week05:5820:4814:5000:27 longer05:1821:2816:1000:31 longer
+2 weeks05:4421:0115:1700:54 longer05:0321:4216:3901:00 longer
+1 month05:1721:2716:1001:47 longer04:3122:1417:4302:04 longer
+2 months04:5621:5717:0102:38 longer04:0422:4918:4503:06 longer
+3 months05:2221:4016:1801:55 longer04:3522:2617:5102:12 longer
+6 months08:0018:1910:1904:04 shorter07:2518:5411:2904:10 shorter
Notes: Daylight saving time, * = Next day. Change preferences.


Pelo que vocês podem ver, o o sol irá se por às 20:36, e desaparecerá totalmente às 21:14, nos  presenteando com  14 horas e 23 minutos de luz.

Abraços, e muita luz para todos! Ah, e aproveitem o feriado, 21 de abril, aí no Brasil.

 [eu e meu novo cabelo cereja]

 Marília Barreto