terça-feira, 26 de novembro de 2013

Tem empregos na Irlanda?

Quem quer vir fazer curso de inglês na Irlanda sempre pergunta:  "Será que consigo um emprego para ajudar a me sustentar enquanto estou estudando?"Minha resposta sempre é: sim, mas exige sorte e empenho. Muitas vezes, você está no lugar certo na hora certa e as coisas acontecem, mas o empenho é, na verdade, o que faz com que alguém consiga um emprego.

[Fonte]

Ao fazer uma busca em qualquer site de busca de empregos como FAS, Jobs.ie, Indeed, Top Language Jobs, dentre outros verá sempre uma grande listagem de vagas disponíveis. Então vagas há! Também, sempre tem anúncios em vários estabelecimentos com cartazes de Staff Wanted. Neste artigo do The Journal, publicado hoje, 25/11/2013, verá que a taxa de desemprego é a menor desde 2009. Boas notícias =)



Agora, coloque-se no lugar de um empregador, e pense nas suas qualificações e nível de inglês. Muita gente que vem estudar inglês, ainda não tem um bom nível de comunicação, reclama que não consegue emprego, mas como você vai se comunicar com seus colegas, e clientes, anotar uma ordem em um restaurante, atender uma ligação, receber um hóspede em um hotel, se não sabe a língua? Por isso, é bastante importante que assista sempre às aulas, veja TV, e tente aperfeiçoar o nível de língua.




O outro ponto que mencionei é a experiência. Mesmo para trabalhos que exigem menos educação formal, como auxiliar de cozinha, vendedor, garçom, etc, os empregadores querem alguém que saiba fazer o trabalho. Sei que falar isso é aquela história do cachorro mordendo o rabo: "não consigo emprego, pois não tenho experiência", e "não tenho experiência, pois não consigo meu primeiro emprego".

Por isso, se não tem experiência mesmo, tente fazer alguns cursos no Brasil antes de vir. Para as meninas, que querem trabalhar como au pair, por exemplo, vale a pena fazer curso de primeiros socorros, estagiar em uma creche, ou mesmo conviver mais com membros da família que têm crianças pequenas.

Esteja preparado para responder perguntas relativas ao trabalho, como por exemplo, "O que você faria se a criança se engasgasse? Qual a sua ação ao ver que a criança bateu a cabeça?", para au pairs. "Como você faria para incentivar um cliente a comprar uma outra peça de roupa?, para vendedores, ou "Cite alguns procedimentos para assegurar a higiene no ambiente, que devem ser tomados por quem trabalha em uma cozinha?", para quem vai buscar vagas em restaurantes. Coloque-se no lugar do empregador, e imagine o que eles precisam, e prepare-se com antecedência.


Trabalhos especializados


"Eu sou formado em direito, em educação física, odontologia, engenharia, história, serviço social, computação, ou qualquer outro curso, há vagas na minha área? Como está o mercado aí na Irlanda para área X?"

Mais do que respostas, eu tenho perguntas para que você reflita. Volte ao primeiro ponto, como está seu nível de inglês? Se você é recém formado,  seria fácil de arranjar um primeiro emprego no Brasil? Quais são as regulamentações para o exercício de sua profissão na Irlanda? Tem experiência?

Não é discriminação, mas, mais uma vez, coloque-se no lugar do empregador. Imagine um professor de educação física alemão, com pós graduação, chegando ao Brasil. Ele conhece a realidade local? Fala a língua? Tem experiência? Se não, provavelmente o empregador vai preferir contratar um brasileiro, que na verdade nem terminou a universidade, mas tem os requisitos necessários para aquela vaga. 

Aqui acontece da mesma forma. E, se você já tem um bom nível de inglês, excelentes qualificações, e experiência, poderá inscrever-se online para as vagas, mesmo do Brasil. 

Boa sorte a todos os que já estão na Irlanda, e aos que estão por vir na busca pelos empregos. Olhem os sites, andem pelas ruas, perguntem aos amigos, procurem saber mais sobre o trabalho para o qual querem se inscrever.